Cheques Devolvidos

Extraído de: oestadoce.economia   Outubro 29, 2012

O número de cheques devolvidos no Brasil caiu 11% em agosto em relação a julho, mostrou o Indicador do Serasa Experian de Cheques sem Fundos , divulgado no final de setembro. De acordo com os técnicos da Serasa Experian, empresa especializada em análise de crédito, a melhoria da situação econômica, associada ao aumento dos postos de trabalho, sobretudo os formais, explicam a queda. O efeito calendário, com dois dias úteis a menos em agosto, também facilitou o declínio.Em agosto, foram devolvidos 19,6 cheques a cada mil compensados -de todos os honrados, 1,96% voltou. Em julho, os retornos de ordens de pagamento foram 2,21% da soma de compensados (22,1 a cada mil honrados). A Serasa lembra que o cheque é considerado sem fundos a partir da segunda devolução.


O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) de setembro registrou a criação de 252.617 empregos formais ante a abertura de 282.841 vagas no mesmo mês do ano passado. Segundo o Ministério do Trabalho esse é o melhor saldo do ano e o segundo maior de toda a série para meses de setembro. O saldo positivo de setembro é resultado de 1.491.580 contratações e 1.238.963 demissões. Com isso, o estoque de emprego com carteira assinada no País cresceu 0,77% em relação a agosto. Em setembro do ano passado, foram abertas 282.841 vagas. De janeiro a setembro deste ano, o Caged registra a criação de 932.651 empregos formais. No mesmo período de 2008, o Caged registrava 2.086.560 novos empregos formais.


O tráfego aéreo de passageiros teve um crescimento de 29,93% em setembro, somente considerando os voos domésticos, segundo dados da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) divulgados nesta quarta-feira. Considerando as rotas internacionais, o incremento foi de 8,15%, puxado principalmente pelos números da TAM. Em ambos os casos, as comparações são feitas sobre setembro de 2008.


A TAM mantém a liderança no mercado de rotas domésticas (44,15% do total), mas seguida muito de perto pela Gol (41,85%, já incluído o tráfego feito pela Varig). Webjet (4,76%), Azul (4,68%), OcenAir (2,24%) e Trip (1,55%) são as outras companhias com participações de mercado acima de 1%. No caso dos vôos internacionais, a Anac registrou uma retração de 22,37% no tráfego de passageiros feito pela Gol, na comparação com setembro de 2008. No caso da TAM, houve um incremento de 14,97%, que responde por 87,26% desse mercado.


A Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) aprovou a concessão para a Sol Linhas Aéreas, empresa com sede em Cascavel (PR), para operar voos domésticos regulares de passageiros, carga e mala postal. Após a assinatura do contrato de concessão, a empresa já poderá solicitar rotas e horários de voos e iniciar a venda de bilhetes para começar a operar. A Sol será a 20ª companhia aérea brasileira de voos regulares de passageiros.


A demanda dos consumidores por crédito registrou a segunda queda consecutiva em setembro. De acordo com os dados da Serasa Experian divulgados nesta quarta-feira, a quantidade de pessoas que, no mês passado, buscaram crédito junto a bancos, financeiras, crediários, cartões de crédito, entre outros, recuou 3,4% em relação a agosto.


No acumulado do ano, a tendência de recuperação continua. De janeiro a setembro, houve queda de 3,8% na demanda dos consumidores em relação ao mesmo período no ano passado, melhorando o desempenho até agosto (-4,1%). Na análise por região, no acumulado do ano, todas ainda apresentam queda. A maior delas foi verificada no Nordeste (-5,5%), seguida pelo Sudeste (-4,4%) e pelo Norte (-3,1%). Centro-Oeste e Sul tiveram variações negativas iguais (-1,6%).


A Nestlé Brasil vai fechar 2009 com o maior crescimento entre todas as subsidiárias da companhia suíça no mundo todo. A afirmação foi feita pelo presidente da empresa de alimentos no país, Ivan Zurita, no final de setembro em São Paulo. Ele disse que a empresa terminará o ano com um faturamento de R$ 15,5 bilhões e até 2012 vai dobrar o resultado. O resultado fica bem acima do desenvolvimento do mercado de alimentos como um todo que deverá fechar o ano com alta de vendas entre 2,5% e 3%. O ritmo anual leva a crer que a empresa chegará aos R$ 31 bilhões em vendas até 2012, disse. Todas as linhas de produto da empresa tiveram vendas melhores em 2009.

 

Leia mais:
Autor: Vinculado ao oestadoce.economia


 
 
Deixe seu comentário



Siga o Ecofinanças