Vendas do comércio varejista paulista crescem em outubro

Extraído de: investimentosenoticias   Janeiro 17, 2014

O comércio varejista do Estado de São Paulo registrou, em outubro, faturamento de R$ 45,6 bilhões. O total foi 6,7% maior que o do mês anterior e 8,3% acima do verificado em outubro de 2012. No acumulado do ano, o crescimento do setor atingiu 3,7%. Foi a sétima alta consecutiva no comparativo anual, segundo dados da Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista (PCCV) da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) em parceria com a Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo (Sefaz). Segundo e entidade, o crescimento apurado não entusiasma devido à fraca base de comparação.

Dentre as dez atividades pesquisadas, somente as lojas de departamentos ficaram com desempenho negativo, com queda de 19,3% ante outubro de 2012. As demais apresentaram maior faturamento, com destaque para lojas de materiais de construção (20,1%) e concessionárias de veículos (14,8%), evidenciando o bom momento vivido pelos dois mercados. As lojas de eletrodomésticos e eletrônicos, apesar de terem desacelerado o ritmo de crescimento de vendas, registraram aumento de 11,7% em outubro de 2013, comparado ao mesmo mês do ano anterior, e mantiveram a liderança no acumulado do ano (26,9%).

Com o maior peso relativo no setor, os supermercados somaram, em outubro, receita de R$ 12,5 bilhões, a maior entre todas as atividades. O resultado foi 5,7% maior que idêntico mês do ano anterior. No acumulado de dez meses, registraram incremento de 3,3% nas vendas.

Mesmo com ampliação das vendas em outubro, avançando 2,9% em relação a igual mês de 2012, as lojas de móveis e decoração foram as que menos cresceram, registrando faturamento de R$ 721 milhões no mês, o menor entre as atividades avaliadas. O segmento acumulou perda de 2,1% nos dez meses iniciais de 2013.

No mês, apenas três das 17 regiões pesquisadas no Estado registraram recuo de vendas, comparadas ao mesmo mês de 2012: Araraquara (-0,7%), Litoral (-1,5%) e Presidente Prudente (-2,6%). Pelo lado positivo, as regiões que mais elevaram as receitas no varejo foram as de Guarulhos (27,2%), Sorocaba (14,4%) e Osasco (14%). Também ficaram acima da média estadual (8,3%) as regiões de Taubaté (9,9%), da Capital (9,6%), de Bauru (9%) e de Marília (8,5%).

Na Capital, o comércio varejista superou, em outubro, a média do Estado, com crescimento de 9,6%, alcançando faturamento de R$ 14,5 bilhões. Para o acumulado dos dez meses do ano, entretanto, as vendas ficaram um pouco abaixo da taxa estadual, em 3,6%.

As concessionárias de veículos, com receita elevada em 36% frente ao registrado em outubro de 2012, lideraram a expansão do varejo na cidade de São Paulo. A seguir, dentre as atividades que mais avançaram no mês, ficaram as lojas de autopeças e acessórios, com alta de 17,3% em relação ao mesmo mês do anterior.

Lojas de departamentos (-4,6%), de vestuário, tecidos e calçados (-0,7%) e farmácias e perfumarias (-0,3%) foram as atividades que, na capital, registraram taxas negativas de vendas no comparativo entre outubro de 2013 frente a 2012.

A  PCCV utiliza dados sobre valores mensais de receitas informados pelas empresas varejistas para o governo paulista. As informações são segmentadas em 16 Delegacias Regionais Tributárias, que englobam os 645 municípios do Estado e dez segmentos, abrangendo todas as atividades varejistas. A série histórica foi iniciada em janeiro de 2013.

(Redação -Agência IN)

Autor: Vinculado ao investimentosenoticias


 
 
Deixe seu comentário



Siga o Ecofinanças